1. Literaturas em abismo: a perspectiva intersemiótica em debate

Coordenação: Prof. Dr. Fernando de Mendonça (UFS)

RESUMO:
Este simpósio se organiza como um espaço para o debate de reflexões críticas voltadas à relação da literatura com as outras artes (cinema, fotografia, música, pintura, teatro, etc.), baseando-se numa perspectiva de análise intersemiótica e tendo como propósito ampliar e aprofundar os estudos advindos deste ramo da literatura comparada. Adotar a Intersemiose como postura de observação, continua sendo uma oportunidade para discutir as experiências literárias nas textualidades contemporâneas, notadamente marcadas pelo diálogo de linguagens e a hibridez de formas e mídias. Com o objetivo de melhor delimitar este complexo âmbito de pesquisa, multifacetado por natureza, propõe-se a aplicação do conceito de miseenabyme (por em abismo) como uma âncora teórica, um denominador e ponto de interseção para as leituras que aqui possam emergir. A proposta é de uma ampla discussão de obras que recorram a caminhos em composição especular, seja no direcionamento de textos que apontem para outros textos (obras dentro de obras), mas especialmente, no caso de linguagens que se voltem para outras linguagens, desafiando a percepção e inovando as estéticas contemporâneas.

2. Estudos épicos

Coordenação: Profª Drª Christina Bielinski Ramalho (UFS)
Profª. Me. Ellen dos Santos Oliveira (Doutoranda PPGL/UFS)

RESUMO:
Este simpósio, vinculado do Centro Internacional e Multidisciplinar de Estudos Épicos (CIMEEP/UFS), reunirá comunicações com tema relacionado a qualquer uma das abordagens realizadas pelos seguintes Grupos de Trabalho do CIMEEP: Estudos teóricos sobre o épico; O épico e o imaginário mítico; O épico e a cultura popular; Historiografia Épica; O épico na Modernidade; As formas do épico nas literaturas africanas em português; Olhares textuais e discursivos sobre o epos popular brasileiro; A épica e os estudos clássicos; Épica, filosofia e religião; A épica camoniana nos sistemas de ensino de Portugal e do Brasil; A epopeia na História da Arte; Direitos Culturais e epopeia. Pretende-se, como objetivo principal, dar visibilidade a pesquisas de membros ou não do CIMEEP que desenvolvam pesquisas relacionadas a essas temáticas, com especial realce à atualidade do épico.

3. Perspectivas da lírica contemporânea

Coordenação: Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade (UFS)

RESUMO:
Durante as décadas de 60 e 70, havia ainda uma ressonância dos movimentos de vanguarda na poesia brasileira, o que se pode perceber, por exemplo, na geração marginal e nos desdobramentos do Concretismo. Paralelamente a esses grupos, houve uma produção poética que, embora herdeira do libertarismo estético que vinha desde o Modernismo e dos movimentos de vanguarda, abriu espaço para o que a crítica atual considera “singularidade” e ou “multiplicidade de vozes”. O sentido de escolarização dos movimentos precedentes perdeu força e sobreveio – alcançando-nos até hoje – vieses diversos, como a reabsorção dos clássicos, a remitização, o diálogo com a tradição, a metalinguagem, os aspectos ontológicos, a valorização da paisagem campesina dos interiores, o assombro do poeta frente ao caos civilizatório etc. Assim, o objetivo desse simpósio é iluminar aspectos da lírica contemporânea (manifestos não apenas no poema, mas também em prosa lírica) por meio da abordagem de autores e obras que nos possibilitam pensar a produção das últimas décadas e o lugar da poesia no tempo atual.

4. Gêneros literários e hibridismo

Coordenação: Profª Drª Christina Bielinski Ramalho (DLI/UFS)
Prof. Me. Éverton de Jesus Santos (doutorando PPGL/UFS)

RESUMO:
Este simpósio abre espaços a discussões sobre a categoria “gênero literário”, tanto no que se refere às origens clássicas desse tipo de abordagem teórica às produções literárias, como no que tange à própria evolução das reflexões teóricas sobre a categoria no decorrer do tempo. Destacam-se, em especial, a relevância de se problematizarem as fronteiras entre os gêneros, caracterizando o hibridismo, e a pertinência ou não de se negar a própria pertinência de hoje se pensar o literário a partir das especificidades dos gêneros. Serão aceitas contribuições de qualquer base teórica, desde que a mesma integre o resumo apresentado, de modo a se demarcarem as fontes que incidiram para a construção do ponto de vista a ser apresentado. Deseja-se que o simpósio reúna abordagens, sob o viés proposto, a obras literárias de diferentes épocas, em quaisquer idiomas.

5. Texto, referenciaçâo e argumentação em práticas de ensino

Coordenação: Profª Drª Geralda de Oliveira Santos Lima (UFS)
Profª Me. Isabela Marília de Santana (UFS)
Prof. Me. Flávio Passos Santana (UFS)

RESUMO:
Argumentar tem a ver com a construção de um texto/discurso cuja finalidade é persuadir o interlocutor (FIORIN, 2017), a qual se realiza por meio de textos verbais ou não-verbais. Este simpósio tem como objetivo reunir trabalhos em andamento ou concluídos que focalizem o texto como resultado de uma multiplicidade de operações cognitivas interligadas, fruto de um processo complexo de interação social. Nessa abordagem interacional de base sociocognitiva, cuja análise se fundamenta na Linguística de Texto (LT) (KOCH, 2004), sobretudo, nos processos da referenciação (MONDADA; DUBOIS, 2003), propomos uma interface com a argumentação (KOCH; ELIAS, 2017), visto que muitas pesquisas em LT, na atualidade, buscam refletir sobre diálogos possíveis entre os estudos do texto e o processo argumentativo. Nesse sentido, este simpósio abre espaços a discussões sobre o texto concebido como uma entidade multifacetada. Serão aceitas contribuições que busquem discutir tal concepção, levando em consideração o ensino de compreensão e produção de textos.
Palavras-chave: texto; referenciação; argumentação; ensino.

6. Pesquisas em linguística aplicada: aspectos contemporâneos em debate

Coordenação: Profª Drª Dóris Cristina Vicente da Silva Matos (UFS)
Profª Drª Isabel Cristina Michelan de Azevedo (UFS)

RESUMO:
Este simpósio tem como propósito reunir pesquisadores/professores interessados em debater sobre pesquisas em Linguística Aplicada, em especial, trabalhos voltados à sua vertente crítica. Pretendemos realizar reflexões sobre as mudanças paradigmáticas desta área de investigação, relacionando-as à educação linguística na contemporaneidade e sua importância para o avanço das pesquisas neste campo no Brasil. Entendemos a Linguística Aplicada contemporânea como uma ciência que visa interferir na realidade social, na medida em que propõe pesquisas e práticas pedagógicas que dialoguem diretamente com as necessidades sociais dos sujeitos envolvidos (MOITA LOPES, 2006; PENNYCOOK, 2006; RAJAGOPALAN, 2003). Abarcaremos trabalhos relacionados aos estudos sobre língua materna e línguas adicionais, bem como pesquisas que extrapolem os limites da sala de aula e sejam realizadas em outros contextos institucionais.

7. Estudos do imaginário

Coordenação: Profª Drª Ana Maria Leal Cardoso (UFS/)
Profª Me. Antonielle Menezes Souza (UFS)
Márcio Carvalho da Silva (PPGL/UFS)    

RESUMO:
O termo imaginário é tomado na acepção utilizada por Gilbert Durand - espaço que recobre a totalidade do campo antropológico das imagens  que  se estende do inconsciente ao consciente, do sonho e da fantasia ao pensado e criado. Neste sentido, o símbolo afigura-se como terreno eletivo do imaginário em que o 'sentido' pode manifestar-se e realizar-se. As pesquisas  no âmbito do imaginário têm crescido nas ultimas décadas, e encontram sua unidade e coerência nas reflexões sobre a imaginação simbólica desenvolvidas em perspectivas  interdisciplinares por Gilbert Durand, dialogando com diferentes saberes: antropologia, filosofia, sociologia, psicologia e literatura. Considerando que, na perspectiva literária, a leitura do imaginário parte da hermenêutica das imagens, dos símbolos e dos mitos de uma obra para compreensão do imaginário de um autor, de uma cultura e de uma época, o objetivo desse simpósio é iluminar aspectos referentes a imagens e símbolos nas abordagens de autores e obras capazes de abrir espaço para discussão e trocas sobre pesquisas relacionadas ao homem na contemporaneidade.

8. Análise do discurso em multíplices práticas discursivas

Coordenação: Profª Drª Maria Leônia Garcia Costa Carvalho (UFS)
Profª Me. Glêyse Santos Santana (Doutoranda/PPGL/UFS)

RESUMO:
Este simpósio tem como objetivo reunir trabalhos em andamento ou concluídos que versem sobre o discurso enquanto objeto sócio histórico e produtor de sentidos, cuja análise se fundamenta na Análise do Discurso francesa, sobretudo, pecheuxtiana, muito embora se considerem intersecções com outros autores e estudiosos que contribuam para o acréscimo das reflexões acerca dos estudos da área. Neste sentido, serão aceitos trabalhos sobre práticas discursivas diversas (políticas, religiosas, educacionais, midiáticas, dentre outras) que discutam as dimensões teóricas desse saber e tragam consequentes contribuições para o avanço das análises e dos estudos sobre o discurso.
Palavras-chave: Análise do Discurso francesa; Pêcheux; Práticas discursivas.

Coordenação: Profª Drª Raquel Meister Ko. Freitag (UFS)
Profª Drª Silvana Silva Farias de Araújo (UEFS/UFS/CNPq)

RESUMO:
Considerando a mobilidade geográfica e social no cenário sociolinguístico brasileiro, com mudanças nos fluxos emigratórios e imigratórios, este simpósio acolhe propostas de estudos descritivos de contatos linguísticos, relevando o papel identitário que media os processos de variação e mudança linguística, bem como propostas de documentação linguística de variedades do português e línguas de herança no Brasil.

10. Terminologia em múltiplas perspectivas

Coordenação: Prof. Dr. Sandro Marcío Drumond Alves Marengo (UFS)

RESUMO:
RONDEAU (1984) aponta para o fato de a palavra terminologia comportar várias definições. Isso significa que o próprio termo encerra em si um caráter polissêmico. Apesar de as definições serem muitas, não há como negar que todas acabam convergindo para um mesmo direcionamento, fruto de terem um objeto único como centro do estudo: os termos que compõe a linguagem de especialidade. Já KRIEGER e FINATTO (2004, p.34) afirmam que "[...] a Terminologia alinha-se à Lexicologia, à Lexicografia e à Semântica, mas com o objeto que lhe coube privilegiar em primeiro plano: o termo técnico-científico." A partir dessa premissa, os objetivos deste simpósio repousam em reunir pesquisas que discutam questões relativas à (sócio)terminologia, dentro do âmbito da linguística românica que contemplem perspectivas em viés sincrônico ou diacrônico.

11. Discurso: abordagens teóricas, diálogos e perspectivas

Coordenação: Profª Drª Márcia Regina Curado Pereira Mariano (UFS)
Prof. Dr. Wilton James Bernardo dos Santos (UFS)

RESUMO:
Em pleno século XXI, para falar sobre a pesquisa na área de Letras é necessário reconhecer sua amplitude de escopo, seus diálogos multidisciplinares e sua função política e social. Nos estudos do discurso, por exemplo, há que se perceber a variedade de concepções possíveis, que nos levam a afirmar que a área abrange diversas perspectivas teóricas, cada qual com suas especificidades, que têm em comum um mesmo objeto, o discurso (LARA; MACHADO; EMEDIATO, 2008, p. 07), e que buscam estabelecer relações entre esse objeto, a enunciação e os fatores sócio-históricos. Nesta seara, encontram-se a Análise do Discurso francesa; os estudos foucaultianos; as Neorretóricas e a Argumentação; a Análise Crítica do Discurso; os estudos enunciativos e bakhtinianos; a Semiolinguística; a Semiótica discursiva, dentre outras abordagens. Assim, a proposta deste seminário é reunir pesquisadores do discurso, discentes e docentes, trabalhos concluídos e em andamento, para refletir acerca das relações de poder, dos efeitos de sentido, das estratégias de persuasão, das construções de verdades e de identidades, dentre outros focos possíveis, em textos de diferentes instâncias ideológicas, como a midiática, a política, a religiosa, a jurídica.

12. Cultura escrita, alfabetização e letramento

Coordenação: Profª Drª Renata Ferreira Costa (UFS)
Prof. Dr. José Raimundo Galvão (UFS)

RESUMO:
No Brasil, pesquisas sobre cultura escrita, especialmente em sua vertente histórica, ainda são recentes, mas vêm ganhando cada vez mais espaço. Considerando que a cultura escrita, também culturas escritas ou culturas do escrito, é “o lugar simbólico e material que o escrito ocupa em/ para determinado grupo social, comunidade ou sociedade” (GALVÃO, 2018), é possível indicar diversas perspectivas de estudo a ela relacionadas: práticas e usos do escrito; práticas de leitura;processos de produção, circulação e recepção de textos (manuscritos e impressos); história dos textos, dos livros e da leitura; materialidades do escrito; questões de autoria; relações de sociabilidade a partir das dimensões da cultura escrita; práticas pedagógicas de ensino/ aprendizagem da leitura e da escrita; novos meios de comunicação escrita; letramentos e multiletramentos. Esses estudos mantêm uma interface com áreas “como a história do livro e da leitura, a história da educação e a história da alfabetização” (GALVÃO; FRADE, 2016, p. 207). Nesta direção, este simpósio propõe reunir pesquisas no campo da Cultura Escrita, da Alfabetização e do(s) Letramento(s), em abordagens sincrônicas ou diacrônicas.
Palavras-chave: Cultura Escrita. Alfabetização. Letramento. Leitura. Escrita.

13. Entre o ensino e a mídia, as tramas do discurso

Coordenação: Profª Drª Elza Ferreira Santos (IFS/SE)
Profª Drª Maria Emília de Rodat de Aguiar Barreto Barros (UFS)

RESUMO:
O presente simpósio tenciona promover discussões relacionadas à escola, ao ensino (de língua, de literatura), à mídia, ao discurso. Questionamos quais discursos atravessam os materiais que chegam às salas de aula, muitas vezes, impondo a homogeneização dos sujeitos, dos sentidos. Consideraremos, então, trabalhos que adotem como arcabouço teórico as teorias do discurso (a Francesa, ou a Arquegenealogia). Nesse sentido, esclarecemos que compreendemos a linguagem como trabalho, processo de produção de sentido, observada em seu funcionamento; o texto como uma unidade de sentido, o qual é produzido nas relações entre sujeitos; o discurso, efeito de sentidos entre os interlocutores;‘uma série de acontecimentos, através dos quais o poder é vinculado e orientado’.Ressaltamos que essas teorias buscam também ‘explicar a constituição do sujeito na trama da história’, colocando-o não como um sujeito dono de seu discurso, mas como um objeto historicamente constituído. Por fim, esperamos, com este simpósio, realizar múltiplas discussões entre os participantes e as suas respectivas pesquisas, a fim de pensarmos sobre possíveis deslocamentos, rupturas. Essa é a importância deste simpósio temático.
Palavras-chave: ensino; mídia; discurso.

14. Produção, percepção e processamento sociolinguístico

Coordenação: Profª Drª Raquel Meister Ko. Freitag (UFS)
Prof. Dr. Rene Alain Santana

RESUMO:
Este simpósio acolhe propostas descritivas e metodológicas para estudos sociolinguísticos de produção, percepção e processamento sociolinguístico, em diferentes línguas e registros, considerando a relação entre os aspectos estruturais, sociais e estilísticos, em abordagens observacionais e experimentais.

15. Gêneros textuais no interacionismo sociodiscursivo

Coordenação: Prof. Dr. José Ricardo Carvalho (UFS)

RESUMO:
Este grupo de trabalho acolhe pesquisas que explorem atividades de leitura e produção de texto com os gêneros textuais com observação no desenvolvimento das capacidades de linguagem de sujeitos aprendizes da Educação Básica. Os trabalhos devem propor discussões sobre o desenvolvimento de capacidade de ação: representações do ambiente físico e social dos participantes envolvidos; capacidade discursiva escolher a infraestrutura geral do texto; a compreensão da infraestrutura a fim de fazer inferência para construção do sentido do texto; a capacidade linguístico-discursiva que possibilita realização de operações implicadas na produção textual, sendo elas de quatro tipos: (i) as operações de textualização – conexão, coesão nominal e verbal; (ii) mecanismo enunciativos; (iii) construção de enunciados, orações e períodos, (iv) a escolha dos itens lexicais. O grupo de trabalho acolhe também análise de textos que explorem o papel dasinstâncias enunciativas utilizadas no texto (narrador, expositor, textualizador, personagens, vozes sociais), bem como o uso de modalizações e estratégias argumentativas para gerar determinados efeitos de sentido no gênero analisado.
Palavras-chave: gêneros textuais; educação básica; produção textual; operações de textualização.

16. Práticas discursivas, políticas e jurídicas: intersecções sujeito do direito x sujeit o do discurso

Coordenação: Profª Drª Maria Leônia Garcia Costa Carvalho (UFS)
Prof. Me. Marcos Paulo Santa Rosa Matos (Doutorando/PPGL/UFS)

RESUMO:
Este simpósio temático tem como pretensão propor à reflexão sobre discursos políticos e jurídicos em que haja inter-relações ou interferências de formações discursivas desses campos de saberes, ou intersecções do sujeito do direito e sujeito do discurso.

17. Pesquisa em linguística textual

Coordenação: Prof. Dr. Rivaldo Capistrano Júnior (UFES)
Prof. Me. Ozéias Pereira da Conceição Filho (UFS)

RESUMO:
Eixo temático destinado a trabalhos voltados para a problemática do texto: sua concepção, seus usos, sua relação com a sociedade e com o sujeito. O texto como construção do mundo e o mundo como construção textual. Este eixo volta-se também para a pesquisa voltada para a finalidade do texto; suas implicações sociais; as recorrências intertextuais nas produções acadêmicas e escolares; a cognição como agente modelador na construção dos sentidos do texto. Com base nessas considerações, serão aceitos trabalhos sobre práticas textual/discursivas que discutam essas questões teórico-analíticas em Linguística Textual e tragam consequentes contribuições para o avanço das análises e dos estudos sobre o texto.
Palavras-chave: texto; Linguística textual; construção de sentidos.

18. Avaliação de leitura e de escrita

Coordenação: Profª Drª Leilane Ramos da Silva (UFS)
Profª Drª Alessandra Gomes Pereira Machado (Codap/UFS)

RESUMO:
Este simpósio acolhe propostas de estudos diagnósticos ou interventivos relacionados à avaliação da leitura e da escrita em espaços formais, tais como em escola (educação básica e educação superior) e em avaliações oficiais. São privilegiadas abordagens que relacionem didatização e avaliação da escrita, e automaticidade e compreensão da leitura.

19. Direito e Literatura

Coordenação: Profª Drª Míriam Coutinho de Faria Alves (DID/UFS)

RESUMO:
O Simpósio Direito e Literatura trata de possíveis diálogos entre o discurso jurídico e literário. Pretende abordar a importância da literatura na formação jurídica assim como as possibilidades da experiência jurídica ao repensar a alteridade e a dignidade humana através de obras literárias. O direito através da literatura manifesta situações e temas que são pertinentes ao imaginário jurídico e literário, tais como: democracia, justiça, criminalidade, constitucionalidade, liberdade, direitos subjetivos, coletivos, culturais e o amplo aspecto dos direitos humanos e fundamentais inseridos no contexto da experiência literária. Visa ainda refletir sobre o direito como literatura a partir de perspectivas distintas entre hermenêutica jurídica e estética literária. Assim, constitui-se espaço nutrido de múltiplas interações que tem o intuito de aprofundar os diversos âmbitos da interdisciplinaridade e promover vias de aproximação entre os campos do saber jurídico e literário.

20. Múltiplos olhares em políticas linguísticas

Coordenação: Prof. Dr. Ricardo Nascimento Abreu (UFS)
Prof. Dr. Beto Vianna (UFS)
Prof. M.Sc. Antônio Félix de Souza Neto (UFS)

RESUMO:
Os estudos contemporâneos em políticas linguísticas envolvem, necessariamente, olhares interdisciplinares sobre os discursos, as práticas, os conflitos linguísticos e as relações de poder que se estabelecem entre línguas (e seus falantes), em cenários de monolinguismo (ou de suposto monolinguismo), multilinguismo e plurilinguismo. Este simpósio temático objetiva discutir, através de pesquisas concluídas ou em andamento,abordagens em políticas linguísticas, em seus mais diversos contextos/domínios (social, jurídico, territorial etc.); em suas inter-relações com os estudos da linguagem (sociolinguística, linguística aplicada, linguística forense, análise do discurso etc.), da literatura e outros campos do conhecimento humano (educação, sociologia, antropologia, direito, economia, história etc.);nas práticas históricas e contemporâneas de ativismo político-linguístico; na formação inicial e continuada de professores de línguas no Brasil, no cenário da lusofonia e em outras fonias do mundo; nas questões das línguas vernáculas (autóctones e alóctones) em seus distintos estatutos normativos (oficiais, nacionais,meio legal de comunicação e expressão, minoritárias etc.) e nas línguas estrangeiras em distintas possibilidades de abordagens.